Controle, Controle financeiro, dinheiro, pessoal, valores,

Se você é daquelas pessoas que na vida pessoal ou em sua empresa não conseguem pagar em dia suas contas por que sempre falta dinheiro ou pagam as contas em dia e não sobra dinheiro para mais nada, não deixe de ler e considerar as dicas abaixo.

Segundo a pesquisa Educação Financeira do Brasileiro, divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), quatro em cada dez entrevistados (37%) não se consideram organizados financeiramente e 69% admitem sentir algum tipo de dificuldade para fazer o controle de suas receitas, despesas e investimentos.
De modo geral, os brasileiros costumam colocar vários empecilhos para não fazer o controle do seu orçamento pessoal, entre os quais preguiça, falta de tempo e “não sei por onde começar”.

A pesquisa disse ainda que os cidadãos ignoram a forma como esse controle deve ser feito.

O cuidado com as finanças pessoais ou de uma empresa começa com as anotações de todas as contas que se pagam, registrando o nome e o valor de cada pagamento realizado.


Ai é que você percebe como é simples iniciar o controle financeiro de sua vida pessoal ou de sua empresa, e que isso não é um bicho de 7 cabeças.

Você sabia que as finanças de uma empresa começam em casa?

Quando você abre um negócio normalmente irá cuidar das finanças de sua empresa da mesma forma como cuida de suas finanças pessoais.
Como você cuida de suas finanças?
Gasta mais do que ganha?
Paga suas contas em dia e sobra algum dinheiro?

Então vamos conhecer as 5 ações que precisamos realizar para pagar nossas contas em dia e, ainda assim, sobrar dinheiro:

Ação 1 – Registrar todos os valores de entrada e saída de dinheiro, verificando o saldo que sobra das entradas após realizar as saídas.
Todo controle de finanças, sejam pessoais ou de uma empresa, começa por registrar tudo que entra e sai de dinheiro diariamente.
Não temos como fugir desta ação, senão as próximas ações não terão como ser realizadas.

Ação 2 – Fazer a análise comparativa entre os valores de entrada e saída.
Neste momento, após ter o registro das entradas e saídas, é hora de comparar se o valor que está entrando é suficiente ou não para cobrir os valores que estão saindo.
Isto pode ser feito a cada semana. Evite fazer só no final do mês, pois pode ser tarde para evitar que o dinheiro não dê para pagar as contas.


Ação 3 – Dividir as contas pessoais das contas da empresa.
Realizando as anotações recomendadas na ação 1, agora chegou a vez de dividir de um lado o que é pagamento de contas suas e de sua família, e de outro lado o que é pagamento de contas referentes ao dia-a-dia da empresa.

Ação 4 – Analisar (observar) o impacto no financeiro dos valores de cada conta paga no mês.
É chegado o momento que muitas pessoas não gostam: de ver a realidade.
Feita a divisão das saídas entre o que saiu para pagar contas dos donos e o que saiu para pagar contas da empresa, é hora de fazer a análise do impacto que cada conta tem no financeiro.

Ação 5 – Decidir pela redução do valor de cada conta ou eliminar gastos com ela.
Enfim, chegou a etapa de começar a equilibrar as coisas e fazer sobrar dinheiro.
Tendo anotado cada conta que é paga, somamos o valor total que pagamos no mês de cada uma delas e verificamos quais contas geram os maiores valores de saídas de dinheiro.
Partindo desta informação, podemos então decidir por qual conta iremos iniciar um processo de redução de valor mensal a pagar para fazer sobrar dinheiro no fim do mês!

436