dinheiro, educação, evolução, finanças, financeira, planilha, poupança, software,

Quanto o assunto é educação financeira, existem algumas regras básicas que devem ser seguidas por aqueles que pretendem tomar as rédeas de suas finanças:

A consciência exata da sua receita (individual ou familiar, conforme o caso.

Suas obrigações financeiras, ou seja, seus gastos inevitáveis e que não podem ser flexibilizados.

A identificação de todos os hábitos de consumo que podem ser flexibilizados ou mesmo suprimidos e que atrapalham, inviabilizam, projetos financeiros maiores e de longo prazo.

Sem a consciência exata do que representa para você e/ou sua família cada um dos itens acima listados, dificilmente você conseguirá por sua vida financeira em ordem e realizar projetos que ultrapassem as necessidades imediatas e cotidianas na sua vida.

A educação financeira deve começar assim que colocamos os pés na escola.
Juntos com a alfabetização, devemos ter em mente a alfabetização financeira também.
Ela é importante, pois, nos liga a uma vida adulta muito mais responsável comparada aqueles que nunca tiveram essa educação.

Começar na tenra idade nos dá maior responsabilidade para lidar com o imponderável da vida adulta, e até mesmo fazermos uma poupança para usarmos depois da educação financeira no futuro.



O papel dos pais na educação é fundamental.
Fundamental para colocar limites na relação entre preço e valor.
Alguns estudos apontam que é muito importante essa iniciativa dos pais.

Com isso, podemos educar os sentidos dos nossos filhos.
Desde cedo e crescendo, eles mesmos terão autonomia para poder caminhar com os próprios pés.
Contudo, se, passado esse tempo, como muitos adultos não tiveram a educação financeira suficiente, podem certamente, tomarem medidas que também passem pela autoeducação.
A sugestão seria: lerem periódicos de economia, fazerem cursos de pouca duração sobre o mercado econômico, procurar vídeos sobre a gestão e educação básica financeira.

Esses pontos são de fundamental importância, pois, com eles você passa a ter mais liberdade sobre as suas finanças.
Não esquecendo pois, de ter sempre alguma planilha ou software a mão para poder ficar guarnecido de nossa memória sempre falha.

Educação financeira

A educação financeira é importante desde a mais tenra idade.
Não subestime a educação financeira de uma criança.
Essa criança que não tem limites e não sabe o valor do esforço e do dinheiro hoje, não saberá quando for adulto.
A educação dos sentidos é fundamental.

Ainda temos tempo.
Mesmo que não tenha passado por essa educação financeira quando criança, sempre terá tempo para aprender.
A idade não é desculpa para a contínua evolução.

Compartilhe! Sim, compartilhe o que aprendeu sobre não só a educação financeira, mas a importância da mesma para a sua liberdade financeira e a sua paz de espírito.

Use uma ferramenta.
Nunca dependa tão somente de sua memória.
Nossa memória já foi suficiente para muitas tarefas importantes, hoje ela também é fundamental, porém, com tantas informações do cotidiano, ficamos reféns de esquecimentos improdutivos.

1091